Tamanho da Letra


Agora, conheça um pouquinho da nossa história também.

A primeira
concessão a gente
nunca esquece.

Fundada em 1995, a CCR Ponte foi a primeira concessionária a integrar o Grupo CCR. Responsável pela administração e manutenção da Ponte Presidente Costa e Silva, concessionária executou um exímio trabalho de conservação, manutenção estrutural e modernização operacional.

Mesmo com mais de 40 anos, a Ponte Rio­Niterói ainda detém alguns recordes notáveis, como:
• a maior ponte do Hemisfério Sul;
• o maior vão em viga reta contínua do mundo - o vão central de 300 metros de comprimento e 72 metros de altura;
• a mais importante estrutura protendida das Américas, com mais de 2.150 km de cabos no interior de sua estrutura.

E assim começou a história de sucesso do Grupo CCR.


O Rio de Janeiro foi só
o começo.

O Grupo CCR continuou a sua expansão em direção à maior metrópole brasileira: São Paulo. A 402 quilômetros de distância, chegamos à capital paulista com o nome de CCR NovaDutra. A concessionária trabalha desde então - com sucesso - melhorando cada vez mais a segurança e o conforto dos motoristas que viajam pela Rodovia Presidente Dutra.

Nesse mesmo ano a CCR ViaLagos foi incorporada ao grupo. Responsável pela administração da rodovia que liga o Rio de Janeiro à Região dos Lagos, no litoral norte do Estado. Por todas as melhorias significativas que foram feitas na estrada, o contrato de concessão anteriormente fixado em 25 anos foi estendido por mais 15 anos.


Rumo ao Sul do 
Brasil e ao coração 
dos brasileiros.

Em 1997 foi implantado o Programa de Concessões de Rodovias do Governo Federal, que autorizou a União a delegar estradas federais aos Estados. Um ano muito importante para a CCR e para toda a população brasileira. Tendo em vista as péssimas condições de pavimento e de tráfego da malha rodoviária paranaense (tanto federal quanto estadual), a escassez de recursos para sua restauração e duplicação, além da urgente necessidade de dar às rodovias as condições para alavancar o programa de desenvolvimento econômico do Estado, o Governo do Paraná encontrou no sistema de concessões a solução para recuperar rapidamente sua infraestrutura rodoviária.

As rodovias administradas pela CCR RodoNorte, no Paraná, têm extensão total de 487 quilômetros e formam o corredor de escoamento de alguns dos principais polos de produção agrícola e industrial do Estado.


Expandindo com a
região metropolitana
de São Paulo.

O Sistema Castello-Raposo é a principal ligação entre a capital e o oeste paulista. Administrado pela CCR ViaOeste, ele integra as rodovias Castello Branco, Raposo Tavares, Sen. José Ermírio de Moraes (Castelinho) e a Dr. Celso Charuri numa extensão de 168,62 quilômetros de rodovias. Por meio do tráfego diário de mais de 600 mil veículos, 2,5 milhões de habitantes de 16 municípios que utilizam o sistema mensalmente são beneficiados.

Com 319,8 quilômetros de extensão, o Sistema Anhanguera-Bandeirantes faz conexão entre importantes municípios do Estado de São Paulo e desempenha um papel fundamental no transporte de pessoas e produtos agrícolas e industriais entre as regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas, dois dos polos econômicos mais ricos e ativos do país. A CCR AutoBAn conta com um tráfego médio diário de 880 mil veículos.


Ligando os pontos.

A CCR RodoAnel é responsável pela administração de 32 quilômetros do trecho oeste do anel viário Mario Covas, que integra as rodovias Raposo Tavares, Castello Branco, Anhanguera, Bandeirantes e Régis Bittencourt. A via passa por sete municípios, entre eles a cidade de São Paulo, e recebe cerca de 240 mil veículos por dia.

Formado pelas empresas CCR (98,6%) e Encalso Construções (1,4%), o Consórcio Integração Oeste apresentou a menor proposta para a tarifa de pedágio em março de 2008 e venceu a licitação do governo paulista para operar o trecho por 30 anos.


Mais um passo do
Grupo CCR. Agora, 
um de 516 km.

A CCR SPVias administra o lote 20 do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, uma malha rodoviária de 516 quilômetros que engloba trechos das rodovias Castello Branco (SP280), João Mellão (SP255), Antonio Romano Schincariol (SP127), Raposo Tavares (SP270) e Francisco Alves Negrão (SP258). Por meio do tráfego diário de mais de 72 mil veículos, 860 mil habitantes de 26 municípios lindeiros são beneficiados.

A SPVias iniciou suas operações em 2000 e foi adquirida pelo Grupo CCR em 2010. Atualmente, as rodovias sob sua administração constituem a principal ligação entre a capital e a região sudoeste do Estado, e aos Estados do Paraná e Mato Grosso do Sul.

 


Fomos ainda mais
longe. Fomos ao MS.

A BR163/MS tem 845,4 quilômetros de extensão, cruzando 21 cidades, entre elas a capital do Estado, Campo Grande. Mais de 1,3 milhão de habitantes são diretamente servidos pela rodovia, que tem papel fundamental na logística de transporte da agroindústria, do comércio e do turismo.

A concessão está a cargo da CCR MSVia, empresa de propósito específico criada exclusivamente para administração, reforma, operação e duplicação da BR163/MS.

A rodovia foi assumida pela CCR MSVia em abril de 2014. As obras de duplicação iniciaram em julho de 2014. O Serviço de Atendimento ao Usuário - SAU - começou a operar em outubro de 2014.